Fisioterapeuta Autônomo – vale a pena ser um?

Fisioterapeuta Autônomo

09 jan Fisioterapeuta Autônomo – vale a pena ser um?

Por receio de não conseguirem se destacar da forma que poderia, caso trabalhassem em uma empresa, muitos profissionais se perguntam se vale a pena serem autônomos. O mesmo acontece com fisioterapeutas, que querem traçar seus próprios caminhos, mas não sabem se vale a pena se tornar um fisioterapeuta autônomo.

É por isso que hoje vamos colocar alguns aspectos na balança, para te ajudar a decidir se vale a pena ser um profissional autônomo ou não.

Confira!

Fisioterapeuta autônomo

Muitos fisioterapeutas adquiriram boa parte do seu conhecimento trabalhando em clínicas, mas isso não quer dizer que você não possa ser diferente e adquirir experiência trabalhando sozinho.

No entanto, para ser um fisioterapeuta autônomo é preciso muito esforço. Certifique-se de que é isso mesmo que você quer, e se descobrir que está no caminho certo, então arregace as mangas e siga em frente.

Cenário de crise

A primeira coisa que você precisa levar em conta para decidir se vale a pena ser um fisioterapeuta autônomo é o fato de que nosso país está passando por uma fase difícil, na qual a crise econômica atinge quase todos os setores.

Por isso, pode ser que você sinta dificuldades em conquistar clientes logo de cara, ou mesmo mantê-los sempre voltando para seu consultório. No entanto, isso não é algo que se restringe só ao seu segmento, pois atinge a economia de um modo geral, e todos estão procurando gastar pouco dinheiro.

Mais trabalho

Se você fosse um fisioterapeuta trabalhando num hospital, ou numa clínica, por exemplo, teria direito ao 13º salário, férias e outros benefícios que o modelo tradicional de trabalho proporciona.

No entanto, se você quiser atuar como fisioterapeuta autônomo, esses benefícios não farão parte da sua realidade. Mesmo porque o seu salário dependerá do número de sessões que você oferecer ao longo do mês. Quanto mais trabalho, mais dinheiro, ou seja, é provável que você tenha que se desdobrar um pouco mais.

Maior autonomia

Como fisioterapeuta autônomo, você pode não ter direito a esses benefícios, mas, por outro lado, poderá ter mais autonomia para definir seus horários e até programar seu período de férias e, caso consiga ter períodos bons em relação a atendimento, você pode se dar ao luxo de tirar vinte dias de férias.

Isso não poderia ser feito caso você fosse um funcionário de hospital ou clínica, por exemplo.

Consultório ou atendimento a domicílio

Outra vantagem de trabalhar como fisioterapeuta autônomo é o fato de você ter flexibilidade quanto ao local de trabalho.

Você pode optar por montar seu próprio consultório, ou ainda, levar o atendimento até a casa das pessoas. Mas, é claro que você teria que cobrar pelo seu trabalho de carregar seus aparelhos, de se locomover etc. Tudo planejado.

Bom, esses são alguns dos prós e contras de trabalhar como fisioterapeuta autônomo. Agora, cabe a você analisar se vale a pena ou não ser um e começar a traçar o seu caminho!

Em caso de dúvidas, entre em contato com a Marques!

Sucesso e até a próxima!

Nenhum comentário

Postar um comentário